Você pensa o que você come

“Mente sã, corpo são”. Quem nunca ouviu esse ditado popular? Essa observação foi feita antes de Cristo, pelo filósofo romano Juvenal, e continua mais atual do que nunca. Estudos têm comprovado a importância de nutrir bem o cérebro para uma vida mais saudável. O foco aqui não é apenas um corpo magro, mas um cérebro saudável e bem nutrido, para poder desempenhar todas as suas funções (que não são poucas) da melhor maneira e pelo maior tempo. 

E claro, se o cérebro funcionar bem, o corpo será o maior beneficiado. Afinal, braços, pernas, células, tecidos e todos os outros órgãos estão sob o comando dele, o cérebro. Nesse processo, outro órgão aparece como protagonista, o intestino. Sim, ele mesmo, uma vez que é o responsável por absorver os nutrientes e distribuir para todo o organismo. É por esse motivo que o intestino é chamado também de segundo cérebro. Uma pausa para entender o intestino  Antes de fazer uma lista com os melhores alimentos para o cérebro, é fundamental dar atenção à microbiota intestinal, pois o consumo de alimentos que nutrem os micro-organismos benéficos do intestino tende a fazer bem também para o cérebro.  Um dos alimentos “queridinhos” para a microbiota intestinal são os probióticos, chamados também de bactérias do bem. Encontrados no kefir, por exemplo, esses alimentos protegem o organismo de corpos estranhos. Além dos probióticos, o consumo regular de fibras e água ajuda a manter o fluxo intestinal saudável.  Agora que você já sabe um pouco como cuidar melhor do seu intestino para que ele absorva os nutrientes, vamos ver os alimentos que vão ajudar a turbinar o seu cérebro?  Cérebro mais saudável  Para o pleno funcionamento do cérebro, vale a pena investir numa rotina alimentar mais saudável. Algumas dietas foram desenvolvidas com o objetivo de prevenir doenças, inclusive degenerativas, como Alzheimer, além de acrescentar mais saúde aos anos de vida. A Dieta Mind, por exemplo, preza por nutrientes neuroprotetores e antioxidantes, que diminuem o declínio cognitivo do cérebro. Chamada de dieta para o cérebro, essa rotina alimentar é considerada segura pelo Departamento de Obesidade da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia e pela Sociedade Brasileira de Alimentação e Nutrição. Como se pode ver, essa busca por alimentar melhor o cérebro passa longe dos alimentos processados e ultraprocessados. Confira abaixo alguns alimentos sugeridos pela Dieta Mind para manter o cérebro funcionando em dia! 

Cereais integrais - Ajudam a prevenir o declínio cognitivo. Exemplos: arroz integral, farelo de aveia e chia.

Vegetais verde-escuros – São ricos em ácido fólico e vitaminas do complexo B. Exemplos: rúcula, espinafre e couve.

Oleaginosas - Combatem os radicais livres e ajudam a prevenir o aparecimento de doenças cardiovasculares. Exemplos: nozes, castanhas e amêndoas.

Ômega 3 - Melhora a cognição, neuroproteção e diminuição do risco de doenças neurodegenerativas. Exemplos: peixes de água fria, como salmão, cavala, arenque, atum e sardinha. 

Frutas vermelhas - Ricas em antioxidantes, favorecem a proteção cerebral. Exemplos: morangos, framboesas e mirtilos. 

Azeite - Possui substâncias anti-inflamatórias e auxilia no bom funcionamento cerebral.


Agora contas pra mim, quais desses alimentos você irá adicionar à sua dieta?

Você também vai gostar de ler

Engordei de novo depois da bariátrica, me ajuda!

Leia Mais

A vida após a retirada da vesícula

Leia Mais

Chocolate de verdade não engorda nem faz mal ao coração

Leia Mais