A segurança da cirurgia minimamente invasiva

As cirurgias minimamente invasivas evoluem a cada ano. Hoje em dia, estão ainda mais precisas que há 40 anos, quando começaram a chegar aos centros cirúrgicos. A videolaparoscopia é um exemplo do avanço da técnica minimamente invasiva. Utilizada na cirurgia bariátrica, oferece inúmeras vantagens ante a cirurgia convencional, aberta. A principal é a incisão menor, que gera menor risco de infeção, ao mesmo tempo, que contribui para uma recuperação mais rápida do paciente.

O tempo de internamento também é reduzido, assim como o resguardo do pós-operatório, contribuindo para o paciente voltar logo à rotina. Com o corte menor, a dor tanto no pós-operatório imediato quanto ao longo dos dias é menos intensa. Outro ponto, que também conta bastante, é a cicatriz quase imperceptível após a recuperação.

A cirurgia

Apesar da incisão ser pequena, a videolaparoscopia é feita sob anestesia geral. Ao todo, o procedimento consiste em cinco incisões, que podem variar de 3 mm a 15 mm, por onde se insere um tubo fino com uma microcâmera, além dos instrumentos cirúrgicos. Na cirurgia convencional aberta, os cortes podem chegar a 20 centímetros.

Métodos

Na cirurgia bariátrica minimamente invasiva, o Bypass Gástrico e a Gastrectomia Sleeve são os mais comuns.
No Bypass Gástrico, o estômago é convertido em uma pequena bolsa e faz um desvio com o intestino fino usando o grampeador. Com isso, o paciente tende a comer e absorver menos.
Na Gastrectomia Sleeve, o estômago é transformado num tubo fino, o que também gera menor capacidade de ingestão e absorção nutricional. Além disso, tem uma redução na produção dos hormônios Leptina e Grelina, associadas à obesidade.

Recuperação

O paciente, em geral, recebe alta hospitalar em até 48 horas. Diferente de quando passa por cirurgia de redução de estômago convencional, que pode levar até sete dias. Na videolaparoscopia, o paciente consegue retomar a rotina dentro de 15 dias, incluindo atividade física leve.

Principais vantagens

Incisões entre 3mm a 15 mm (cirurgia tradicional cortes de até 20 cm)

Menor risco de infecção

Cicatriz quase imperceptível

Menos dores no pós-operatório

Recuperação mais rápida

Bypass Gástrico e a Gastrectomia Sleeve?

Se você ficou com alguma dúvida sobre algum dos métodos ou qual seria o mais indicado para você, entre em contato comigo, Dr. Nicolas Lamas, especialista em cirurgia bariátrica minimamente invasiva, que terei o prazer de esclarecer. Ou ainda, se ficou com alguma dúvida, é só enviar, que responderei. 


Você também vai gostar de ler

Doença Inflamatória Intestinal: DII

Leia Mais

O impacto do sono na saúde intestinal

Leia Mais

Descubra o que fazer em casos de entalos pós-bariátrica

Leia Mais