Perigos da Obesidade Infantil

A obesidade infantil acomete 124 milhões de crianças e adolescentes de até 12 anos em todo o mundo. É uma doença crônica e progressiva, caracterizada pela OMS quando a pessoa tem IMC (Índice de Massa Corporal), que é a divisão do peso (em kg) dividido pela altura ao quadrado (em metros), acima de 30. Ao todo 9,4% das meninas e 12,4% dos meninos no Brasil são considerados obesos.

Por isso, o dia 3 de junho foi instituído como Dia Mundial de combate à Obesidade Infantil. E nós preparamos um texto com as principais informações sobre esta doença, como causas, perigos, e prevenção.

Confira o conteúdo completo a seguir.

Causas

A obesidade infantil pode surgir por fatores de diferentes ordens: genética, psicológica, endócrina e por maus hábitos alimentares. Alguns estudos mostram que o ambiente interfere na formação nutricional da criança. Filhos de pais que já são obesos têm 80% de chance de desenvolver a doença também.

Possíveis consequências


Ainda na infância, adolescência ou já como adultos a pessoa pode enfrentar diversas complicações graves por conta da obesidade. Algumas delas são hipertensão arterial, doenças cardiovasculares, diabetes, colesterol alto e deformações na coluna vertebral e na estrutura óssea.

Existem ainda algumas doenças crônicas que podem se desenvolver a partir da obesidade infantil como: doenças respiratórias (asma),  doenças ortopédicas (no joelho e coluna), disfunções no fígado como esteatose, problemas metabólicos, dores nas articulações, colesterol alto, assaduras, dermatite, enxaqueca,  acne, hiperandrogenismo (excesso de hormônio masculino), antecipação da puberdade, alterações menstruais, doença coronariana na vida adulta, colelitíase (pedra na vesícula), apneia obstrutiva do sono, síndrome de hipoventilação da obesidade, fraturas ósseas, infecções fúngicas, furúnculos, acantose nigricans (manchas aveludadas e escuras em dobras), estrias, baixa autoestima, ansiedade, isolamento social, solidão, disfunções alimentares, bullying e depressão.

Prevenção

A prevenção da obesidade deve vir de dois fatores principais: alimentação e combate ao sedentarismo. A alta ingestão de alimentos industrializados provoca acúmulo de gordura no corpo da criança ou adolescente, por isso estes alimentos devem ser preteridos em lugar de frutas, verduras, legumes e alimentos ricos em fibras e nutrientes.

Hoje os jovens estão mais ligados às tecnologias e menos às atividades físicas ou brincadeiras ao ar livre, que possibilitam correr e pular. Por isso é importante motivá-los de alguma forma a praticar alguma atividade física, seja algum esporte ou mesmo uma caminhada.

O que não fazer

Uma dieta muito restritiva pode desencorajar o jovem ou a criança a se alimentar de forma saudável, inclusive é importante transformar seus hábitos alimentares como um todo e não somente cortar alguns alimentos. Essa rotina pode ser desenvolvida com o auxílio de uma equipe multidisciplinar com nutricionista, educador físico, psicólogo e médicos.

O estilo de vida é o responsável por transformar a saúde do jovem obeso em uma vida de qualidade. Consulte-se com um profissional qualificado para tratar o excesso de peso de seu filho.

Você também vai gostar de ler

Cirurgia Bariátrica: Desvendando os Mitos e Verdades. Quem pode fazer?

Leia Mais

Combate à Obesidade Infantil: Uma Batalha pela Saúde do Futuro

Leia Mais

Vesícula Inflamada: Saiba como identificar e realizar o tratamento.

Leia Mais