Bypass ou Sleeve? Conheça os tipos de cirurgia bariátrica e qual é o mais indicado

As cirurgias bariátricas auxiliam no combate à obesidade de adultos que não conseguiram alcançar este resultado com procedimentos clínicos, geralmente feitos com o auxílio de uma equipe multidisciplinar envolvendo psicólogos, nutricionistas, endocrinologistas entre outros. 1 em cada 6 brasileiros têm obesidade, cerca de 25% da população, segundo a Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica (SBCM).

A obesidade é caracterizada pelo acúmulo de gordura no corpo e excesso de peso e é potencial causadora de diversas doenças associadas, mais de 20, entre elas hipertensão arterial, diabetes e problemas articulares. Pessoas obesas também podem apresentar enfermidades respiratórias, apneia do sono e ter mais risco de embolia pulmonar, bem como deficiência de vitaminas.

A seguir explico as diferenças entre os formatos de cirurgia bariátrica, e digo quais são as indicações para cada caso.

ByPass Gástrico

Esta é a técnica mais praticada no Brasil, corresponde a 75% dos procedimentos. Nesta cirurgia o resultado é muito satisfatório, com a redução em torno de 70% a 80% do excesso de peso e controle de doenças como a hipertensão arterial. Neste procedimento é feito o grampeamento de uma parte do estômago para diminuir a área do alimento no órgão e também de uma parte do intestino para aumentar a produção de hormônios que dão sensação de saciedade. Este método é recomendado principalmente usando a Cirurgia Minimamente Invasiva (CMI), da qual sou especialista.

Gastrectomia Vertical

O recurso utilizado neste procedimento é a diminuição de uma grande área do estômago, que acaba por ter uma capacidade de apenas 80 a 100 ml. O estômago acaba sendo transformado em um tubo, dessa forma a perda de peso pode ser superior à do by-pass gástrico. Esta técnica tem um resultado muito expressivo em relação ao controle de doenças associadas à obesidade como pressão arterial e diabetes devido à diminuição do colesterol e triglicérides.

Duodenal Switch

Uma das técnicas menos utilizadas no Brasil hoje, somente em torno de 5% do total realizado, por conta de sua complexidade e risco pós-operatório. Nesta cirurgia são combinadas duas técnicas, de extração de uma grande área do estômago, como na Gastrectomia Vertical, e de desvio intestinal, em que uma porção do intestino é retirada. Neste caso, a redução de peso proporcionada por ela pode ir até 85%.

Bariátrica com Cirurgia Minimamente Invasiva

Todas as técnicas de cirurgia bariátrica podem ser feitas no método minimamente invasivo. Algumas das principais vantagens da CMI é que não usa grandes incisões para fazer o procedimento, são feitos pequenos cortes de no máximo 1,5 cm, enquanto na técnica tradicional pode ser feito um corte de até 20 cm. Isso significa que o risco de infecção, hérnias e tempo de recuperação cai drasticamente, assim como a taxa média de mortalidade que é menos de 1%, apenas 0,23%.

Para descobrir qual é o melhor cenário para você, procure seu médico e avalie todas as possibilidades.

Você também vai gostar de ler

Combate à Obesidade Infantil: Uma Batalha pela Saúde do Futuro

Leia Mais

Vesícula Inflamada: Saiba como identificar e realizar o tratamento.

Leia Mais

Benefícios e vantagens da cirurgia minimamente invasiva

Leia Mais