Hérnia não é tudo igual

Hérnia. Comum, o termo é usado quando um órgão desloca de forma parcial ou total por meio de uma abertura na camada de tecidos que o protege. Essa abertura pode ter diferentes causas como má formação, ruptura por excesso de peso ou esforço e também por enfraquecimento dessa estrutura protetora.

A hérnia pode ocorrer em qualquer idade, apesar de ser mais frequente em adultos e surge em diferentes partes do corpo como abdômen, coxa, umbigo, virilha e coluna, recebendo um nome complementar de acordo com a região.

Nos adultos, o tipo de hérnia mais comum é a inguinal, localizada na região entre a coxa e a parte inferior do abdômen. Esse tipo de hérnia corresponde a 75% dos casos. Já nas crianças, a hérnia mais comum é a umbilical, que surge por volta dos 6 meses de vida e costuma “fechar” sozinha até os 4 ou 5 anos de idade.

Os sintomas variam conforme o local, porém os mais comuns são protuberância no local, inchaço, dor, náuseas e até vômito. Fique atento, pois o problema é sério.

Por exemplo, uma das consequências da hérnia inguinal não tratada é o encarceramento de parte do intestino, que não consegue voltar para a cavidade abdominal. Esse quadro normalmente causa dor intensa e pode inclusive acarretar obstrução intestinal, caso uma alça do intestino delgado fique presa dentro da hérnia.

O principal tratamento para hérnias é cirúrgico. A boa notícia é que as cirurgias minimamente invasivas conseguem resolver o problema, inserindo na maioria das vezes uma tela protetora, o que diminui o risco da hérnia voltar.

A laparoscopia, como também é chamada essa técnica, oferece menor risco ao paciente, uma vez que a incisão é muito menor que num procedimento convencional, e uma recuperação mais rápida.

Principais tipos de hérnias

Hérnia inguinal —
Ocorre na junção entre a coxa e a parte inferior do abdômen, representando a maior parte dos casos de hérnia abdominal. É mais comum em homens. 

Hérnia inguinescrotalÉ um tipo de hérnia inguinal, mas por ser grande e volumosa pode descer em direção aos testículos, recebendo o nome de inguinescrotal. Esse quadro costuma ocorrer por causa da fraqueza na parede muscular gerada pela passagem do testículo. 

Hérnia epigástrica Recebe esse nome aquelas hérnias localizadas na linha média do abdômen (linha Alba) — acima do umbigo.

Hérnia umbilical — É mais comum em bebês e também nas mulheres. Como o nome sugere, está localizada na região do umbigo e surge devido a alguma falha na cicatriz umbilical ou por esforço excessivo, obesidade e gravidez. 

Hérnia femoral — Apesar de rara, é mais comum em mulheres e ocorre na raiz da coxa e evidencia mais complicações que as do tipo inguinais. 

Hérnia incisional — São aquelas que surgem no local de uma cicatriz cirúrgica, principalmente nas cirurgias na região do abdômen, podendo aparecer logo após o procedimento ou anos depois.

Hérnia de hiatoQuando uma parte do estômago migra para o tórax e acaba causando doença do refluxo gastroesofágico. O Refluxo Gastroesofágico é o retorno involuntário e repetitivo do conteúdo do estômago para o esôfago. Os alimentos mastigados na boca passam pela faringe, pelo esôfago e caem no estômago, situado no abdômen.

São muitos tipos, não é mesmo? De qualquer forma, é necessário, em todos os casos, que você consulte o seu médico para entender o melhor tratamento. Compartilhe se você gostou da informação.

Você também vai gostar de ler

As 4 doenças intestinais mais comuns

Leia Mais

Novembro Azul: check-up da próstata é indispensável para saúde do homem

Leia Mais

Com bariátrica, até eu emagreço!

Leia Mais