Como se livrar do estômago alto

Muitas pessoas estão insatisfeitas com seu abdômen, isso é completamente normal. Por mais que a famosa "pochete" seja uma das reclamações mais frequentes, alguns pacientes encontram-se insatisfeitos ao olhar para seu abdômen e enxergarem certa protuberância na parte superior da barriga. Chamamos essa ocorrência de estômago alto.

Esse sintoma pode se dar por diversos motivos, mas na maioria das vezes está relacionado a alimentação e estilo de vida. Pode ser também que, ao passar por determinada pressão, a musculatura do abdômen ceda e acabe se abrindo um pouco, causando esse mesmo efeito.

Neste artigo eu poderei explicar a você sobre cada caso e abordar as formas de resolução do problema.

Alimentação e estilo de vida

O 'estômago alto' acontece devido ao estiramento do abdômen. Uma alimentação desregrada, baseada em gorduras e açúcar, pode fazer com que o corpo retenha essa gordura na parte superior do abdômen, dando essa sensação de estufamento.

Em casos mais graves, a pessoa pode acumular gordura entre os órgãos abdominais, na parte interna do abdome. Esse fenômeno pode fazer com que os músculos se projetem para frente e causem essa deformação na barriga.

Situações de pressão abdominal

Outros casos que levam ao abaulamento do abdome envolvem a exposição a algum tipo de pressão na região. O caso mais comum é o da gravidez, onde o corpo se adapta ao feto e por conta desse espaço preenchido pelo bebe a musculatura do estômago se projeta para frente e pode acabar não voltando ao lugar após o parto. Chamamos essa separação muscular abdominal por pressão de diástase. Nos casos de diástase.

Formas de tratamento

Quando falamos do acúmulo de gordura por conta do estilo de vida, a primeira tentativa deve ser uma mudança de hábitos e reeducação alimentar. A prática de exercícios físicos focados no abdômen também ajuda a diminuir a gordura localizada naquele lugar e com o tempo o abdômen pode retornar ao seu estado natural.

Mas e quando o problema é o distanciamento da musculatura?

Nos casos de diastase o procedimento de recuperação é cirúrgico, salvo casos em que esse afastamento é pequeno e pode ser consertado com exercícios físicos.

O procedimento utilizado com maior frequência é a abdominoplastia. Nele o médico sutura esses músculos na região central do corpo, usando uma técnica chamada de plicatura. Assim, ele recompõe a parede abdominal.

Os fios usados são extremamente resistentes e não podem ser absorvidos pelo organismo e, portanto, são definitivos.

Ainda assim, em alguns casos a pele acompanha esse crescimento na região e no pós cirúrgico o paciente pode apresentar o que chamamos de flacidez tissular, ou excesso de pele. Nesses casos, ao identificar essa possibilidade, o médico retira o excesso de pele na mesma cirurgia, deixando o abdômen lisinho outra vez.

Espero que tenha esclarecido suas dúvidas sobre o Estômago Alto e que você continue acompanhando meus conteúdos por aqui e pelas minhas redes sociais, um abraço.

Você também vai gostar de ler

Descubra o que fazer em casos de entalos pós-bariátrica

Leia Mais

A segurança da cirurgia minimamente invasiva

Leia Mais

Robô promete revolucionar o jeito de fazer cirurgia

Leia Mais