O impacto do sono na saúde intestinal

Seja por insônia, trabalhar à noite, passar horas agradáveis num barzinho com amigos, jogar online ou maratonando aquela série no sofá de casa, não importa, dormir pouco ou dormir mal não causa apenas olheiras, afeta também a saúde do seu intestino. Um estudo de 2014 feito pelo Hospital Geral de Massachusetts, nos Estados Unidos, e publicado na revista científica Clinical Gastroenterology and Hepatology, constatou que quem não dorme o mínimo recomendado – de sete a oito horas por noite –, pode ter um maior risco de desenvolver colite ulcerativa.

A colite é uma doença de origem inflamatória e afeta o revestimento do intestino grosso e o reto.O autor da pesquisa Ashwin Ananthakrishnan já havia alertado num estudo anterior, realizado com colegas, que a má qualidade do sono também aumentaria em até duas vezes o risco de desenvolvimento da doença de Crohn (doença inflamatória crônica transmural que normalmente afeta o íleo distal e o cólon, mas pode ocorrer em qualquer parte do trato gastrintestinal) em seis meses.

Noites maldormidas também alteram a produção de cortisol, hormônio produzido pelas glândulas suprarrenais com a missão de controlar o nível de estresse, reduzir inflamações, contribuir para o bom funcionamento do sistema imune e manter os níveis de açúcar no sangue constantes, assim como a pressão arterial.

Os estudos de Ananthakrishnan constataram que as perturbações do sono impactam o sistema imunológico. Os pesquisadores também alertaram a necessidade dos médicos obterem informações sobre a duração e a qualidade do sono como um parâmetro para avaliar a saúde de pacientes com doenças inflamatórias intestinais.

O intestino e a produção de hormônios

Além de fazer a digestão do que comemos, o intestino é um grande produtor de hormônios. É o intestino que produz cerca de 95% da serotonina (o neurotransmissor do bem-estar) do nosso organismo. Estudos também identificaram que o sistema digestivo é responsável por mais de 70% das células imunes do corpo humano.

Flora intestinal

Alguns alimentos são considerados amigos do bom funcionamento do intestino, como iogurte, kefir e kombucha.

Quando o intestino funciona bem, a produção de hormônios também funciona bem, o que significa mais ânimo e disposição no dia a dia, o que interfere inclusive no controle de peso e no processo de emagrecimento, uma vez que com menos estresse fica mais fácil controlar o consumo de doces, por exemplo.

Dúvidas

Se ficou com alguma dúvida, entre em contato com o Dr. Nicolas Lamas, médico e especialista em cirurgia minimamente invasiva, e que conta com uma equipe multiprofissional, inclusive nutricionista. 


Você também vai gostar de ler

Vantagens e desvantagens de fazer a cirurgia bariátrica no verão

Leia Mais

Veja como viajar tranquilo mesmo tendo pedras na vesícula

Leia Mais

Doença Inflamatória Intestinal: DII

Leia Mais