Quais são os tipos de cirurgias indicadas pela CMI

A Cirurgia Videolaparoscópica é uma modalidade de Cirurgia Minimamente Invasiva, ela utiliza incisões que variam de 3 a 15mm e através delas são inseridas mini tubulações por onde passarão os instrumentos para que o órgão seja operado, a imagem é gerada através de uma microcâmera que projeta a imagem num televisor. É um procedimento com uma duração muito curta, de até 45 minutos dependendo do caso, e cuja recuperação é rápida, alguns pacientes são liberados do hospital no mesmo dia.

E você sabe quais são as cirurgias que podem ser feitas por CMI? Confira a seguir.
Intestino

Intestino

O intestino faz parte do sistema digestivo, e é responsável por absorver as vitaminas e nutrientes da alimentação. Os procedimentos que podem ser feitos neste órgão são: Retiradas parciais ou totais do estômago, intestino delgado ou cólon; Doença diverticular do cólon com complicações, Tumores do cólon, Obstrução intestinal, Apendicite aguda, Megacólon, entre outras.

Cirurgia bariátrica

Na cirurgia bariátrica minimamente invasiva, existem duas técnicas que são mais realizadas no Brasil: o Bypass Gástrico e a Gastrectomia vertical ( Sleeve) . No Bypass Gástrico, o estômago é transformado em uma pequena bolsa ( pouch gástrico) e é feito um desvio no trato digestivo utilizando o intestino delgado. Isso faz com que o paciente coma e absorva menos os alimentos. Já a Gastrectomia Sleeve, o estômago é transformado em um tubo fino, com o mesmo objetivo de diminuir a ingestão e absorção de nutrientes.

Hérnias

É quando ocorre a protusão de gordura ou de algum órgão através de uma abertura. Pode ser causada por diferentes razões como má formação, pelo enfraquecimento dos tecidos ao longo dos anos ou ainda uma ruptura por excesso de peso. As mais comuns são: inguinal, inguinoescrotal, epigástrica, umbilical, femoral, incisional e de hiato.

Vesícula

A cirurgia na vesícula é feita quando identificamos a presença de cálculo. O cálculo é gerado pelo acúmulo de resíduos dos líquidos biliares, que formam pedras as quais ficam alojadas na vesícula. Na cirurgia o órgão é retirado completamente.

Além de todos os benefícios já citados, a CMI diminui o risco de infecções, permite que as cicatrizes sejam quase imperceptíveis e garante uma resposta imunitária mais ativa do paciente.

Consulte seu médico cirurgião para saber se o seu procedimento pode ser realizado
por este método.


Você também vai gostar de ler

Carnaval e Saúde: Saiba como aproveitar a folia de uma maneira saudável

Leia Mais

Minha participação no XXIII Congresso Brasileiro de Cirurgia Bariátrica e Metabólica 2023

Leia Mais

A vida após a cirurgia da vesícula

Leia Mais